Arquivo da tag: Fortaleza

Quando o trilho passa à porta de casa

De um dia para noite, engenheiros de nomes desconhecidos chegaram na comunidade Lauro Vieira Chaves, em Fortaleza, no Ceará. Pediram licença, entraram nas casas. Tiraram medidas. Fizeram fotos.

Alguns dias depois, moradores foram surpreendidos com uma carta de convocação. Deveriam ir em uma reunião onde receberiam um comunicado do governo do Estado: era preciso deixar o lugar onde famílias construíram histórias, teceram narrativas de vida. Teriam que fazer isso em troca de valores mínimos por suas moradas.

O motivo da remoção: o início das obras para implementação do Veiculo Leve sobre Trilhos (VLT), uma das obras de mobilidade urbana prevista para Fortaleza, cidade que sediará jogos da Copa do Mundo.

Após o susto, a comunidade, que é composta por cerca de 400 famílias e que há 60 anos está constituída, se uniu. Em grupo, com recursos próprios, criou meios de debates e articulações. A internet foi um deles e, por meio de um blog (http://comunidadelvc.wordpress.com/), moradores foram registrando o passo a passo da luta pela não remoção de moradores.

O campinho onde crianças e adultos se encontravam para brincar foi destruído. Com ele, mangueiras e cajueiros também. Os tratores chegaram. A poluição se fez presente. Paredes de casas foram derrubadas.

A comunidade sentiu e sente na pele o que é perder espaço de lazer, de encontro. O que é perceber as casas que construíam indo ao chão.

Mas a luta não foi em vão. Juntos. Os moradores de Lauro Vieira Chaves conseguiram reverter o plano de remoção previsto e 70% das famílias passaram a ter o direito de permanecer no local. Não era só o direito à moradia que estava em questão. Mas, também, a própria história de cada morador que tem no lugar suas lições de afeto, seus laços de família e de amizade.

A comunidade Lauro Viera Chaves tornou-se então símbolo. Um exemplo de como, organizada em grupos de trabalhos, fincando o pé no chão e se articulando com movimentos e organizações civis, é possível obter vitórias que beneficiem o social e a vida comunitária.

Tudo isso está contado em um vídeo, um documento em imagens que guarda para as futuras gerações as transformações da paisagem do lugar, mas também a resposta dada pela comunidade em prol do direito de morar – e morar com afeto.

Anúncios